Fim de semana com vertical

Para aproveitar o sabadão e usufruir da natureza maravilhosa dos arredores de rio claro, partimos para a serra sem objetivos exatamente definidos, apenas pensando em procurar um paredão e explorar a possibilidade de fazer prospecção “de cima pra baixo” ao invéz de enfrentar a mata “de baixo pra cima” como de costume.

E ai, bora descer?

E ai, bora descer?

Acabou que calhou, chegamos na velha e conhecida cachoeira, e alguém comentou, poxa, sempre pensei em treinar vertical por aqui mais nunca desci. E como amigos servem pra estas coisas, a resposta foi: – Bora descer ai agora então! Temos corda, equipamento tudo, fecho! =)

E vai molhar um pouquinho!

E vai molhar um pouquinho!

Aproveitamos assim para treinar um pouco o vertical, repassar nós, ancoragens, e se divertir. Valeu ou não valeu vanderlei? Acho que vai ter volta heim! Afinal, houve gente que amarelou…..Fica a dica ai para os demais membros, se preparem que em breve haverá um “repeteco” da atividade.

Oba, vamos que vamos!

Oba, vamos que vamos!

Agradecendo a todos que animaram sabadão de manha de partir em busca de um pouco de aventura.

Anúncios

CAMPO GGEO – EGRIC – GEUEC

No fim de semana dos dias 1 e 2 de fevereiro foi realizado uma saída de campo de integração e confraternização entre os membros dos espeleo grupos universitários do Estado de São Paulo GGEO (USP), EGRIC (UNESP) e GEUEC (UNICAMP).

O GGEO, espeleo grupo da USP, fundado na década de 80, é composto pelos estudantes de graduação do curso de Geologia e Licenciatura em Geociências e Educação Ambiental. Assim como o EGRIC, o GGEO busca passar os conhecimentos adquiridos adiante, abrindo possiblidades para os estudantes de aplicar os conhecimentos adquiridos durante a faculdade nos projetos do grupo, assim como trazer de volta para o aluno participante uma complementação a sua graduação. O grupo busca completar seu desenvolvimento acadêmico na área de geologia/espeleologia de forma criativa, clara e inovadora. Para isso está aberto a propostas, novos integrantes, opiniões e contribuições de todos. Quem tiver interesse pode entrar em contato através do email: < ggeo.usp@gmail.com >.

O GEUEC, espeleo grupo recém-formado da UNICAMP, foi oficialmente fundado no dia 31/10/2013, após o primeiro campo realizado junto ao EGRIC e GGEO para o PETAR (núcleo Caboclos) em Iporanga- SP, onde encontraram apoio e incentivo para formar o grupo na UNICAMP. Os objetivos do pessoal de campinas também esta em complementar a formaçao universitária com a realização de expedições de exploração e mapeamentos de cavernas e ajudar a promover o estudo e a conscientização da importância da preservação das cavidades naturais brasileiras. Atualmente o GEUEC é composto por nove membros da graduação de Geologia na UNICAMP, mas pretendem um dia poder contar com mais membros de outros cursos e assim dar uma maior sustentação de conhecimento ao grupo. Para quem tiver interesse pode entrar em contato pelo email < geuecsp@gmail.com >. O EGRIC está à disposição para ajudar com o que for possível! Que o grupo de vocês tem muito a crescer, ainda mais com a animação e motivação de pessoas jovens e interessadas! Só falta trocar conhecimentos com o time experiente de espeleologos de campinas e também de todo o Brasil (Podem conseguir maiores informaçoes junto ao pessoal da SBE).

Uffa! Bom, depois da apresentação dos participantes, vamos ao campo!! Muita animação durante o fim de semana e com a agradabilíssima companhia dos colegas jovens espeleólogos, foi realizada a saída de campo para região das cavernas areníticas da Serra do Itaqueri, no interior do Estado de São Paulo. Estas cavernas, desenvolvidas nas rochas areníticas da Formação Botucatu da Bacia Sedimentar do Paraná, representam as ocorrências cársticas não-carbonáticas do Estado de São Paulo.

A formação Butucatu é constituída essencialmente por arenitos com estratificação cruzada (pudemos observar no primeiro dia lindo afloramento de estratificações de grande porte, antes da entrada da caverna do Fazendão, lembram?) depositados em ambiente desértico, antes da separação do Gondwana e formação do Atlântico Sul.

Visite nossa galeria de fotos para apreciar alguns momentos deste fim de semana! Também é possível conferir o SUCESSO da excursão através do vídeo! Quanto ao vídeo, esperam que gostem da trilha sonora, de acordo com a enquete que colocamos no post anterior, rock n’ roll ganhou com 55% e musica instrumental ficou em segundo lugar com 25% dos votos. Tentamos encontrar algo q agradasse a maioria =).

O EGIRC agradece e muito a participação de todos! E que venham mais campos como este! Valeu pessoal que esteve aqui conosco, foram 2 dias muito bacanas e especiais!

Damos destaque abaixo a um depoimento da Tatiana Penteado Sitolini, colega e simpatizante das práticas espeleológicas do EGRIC, que pode estar conosco durante o fim de semana!

“Terça-feira retrasada a Lia (membro egric 2012) comentou comigo que ia pra campo no fim de semana (1 e 2 de fev) com o EGRIC, o GGEO e o GEUEC. Inicialmente tinha pensado em ir pra uma cachoeira, mas mudei meus planos e perguntei pro Yuri (presidente egric 2014) se eu poderia ir com eles e aproveitar para matar as saudades das cavernas da região, depois de quase uns 2 anos. A última vez que eu tinha saído a campo com o EGRIC foi no meu primeiro ano de faculdade (2011). Fomos na Caverna do Fazendão e na Gruta da Capitação aprender a mapear cavernas e a usar o clinômetro e a bússola, fazer o croqui e as medições… Foi muito legal! Acabei parando de frequentar as reuniões e, por consequência os campos por conta de outras coisas da faculdade que estavam me tomando mais tempo que o esperado, mas sempre mantive a vontade de voltar. Como o Yuri disse que eu poderia ir, fiquei super animada… O Egric é um grupo muito receptivo! Nesse campo havia algumas pessoas que nunca tinham entrado numa caverna, e tenho certeza que adoraram a experiência, não só pelo lugar, mas também pelo pessoal tanto do EGRIC, como do GGEO e o recém criado GEUEC (mas de forma alguma menos na pegada!!). A ideia foi ótima de juntar os três grupos! Já haviam tido atividades envolvendo os grupos no PETAR, mas não aqui na região. Foi uma ótima oportunidade para mostrar um pouco do interior paulista e suas cavernas não carbonáticas.

Saímos por volta das 11 horas do sábado, dia 1°, rumo à caverna do Fazendão, em Ipeúna. Foram 6 carros, quase todos lotados, no total 27 pessoas! E um ‘Espeleodog’ aventureiro, a Nitty (ou, para os íntimos, Preta)! Os carros menores estavam com dificuldades para subir a estrada de terra, então alguns desceram do carro e terminaram a trilha a pé, em pleno sol-do-meio-dia (guerreiros! confesso que fui só metade do caminho a pé, depois disso o Vandi (Vanderlei, membro egric 2013) estava com o carro grande vazio e deu carona rsrsrs.). Chegando os carros ao ”estacionamento”, pegamos as coisas, passamos os filtros solares e repelentes (ou não), tiramos a foto do grupo e seguimos a trilha a pé. Depois de uma meia hora estávamos na entrada da caverna. Comemos, cada um o seu lanche (e mais umas bolachas alheias, sempre melhores que as nossas rsrsrs), colocamos os capacetes e lanternas e então o Yuri fez uma breve apresentação da caverna, contou o porquê do nome, como e quando acharam, bem interessante! Depois disso entramos na caverna do Fazendão. É uma caverna que, apesar de pichada em alguns locais, não perdeu, de forma alguma, sua beleza e encanto! Passamos pelos ‘abismos’, pelo ‘salão da baleia’, fizemos algum tempo de escuro e (não muito) silêncio para sentir o clima da zona afótica da caverna e, claro, passamos pelo famoso ‘Gostosinho’. Depois, alguns de nós entramos novamente na caverna por um outro conduto, ao lado da entrada principal, em busca de mais aventura, aperto e rastejo! Saindo de lá, já bem sujos, paramos uns 5 minutos no pequeno córrego pra tomar água e lavar os rostos e as mãos (quase não estava calor no dia) e seguimos rumo à caverna do Paredão. Entramos e o Yuri fez uma prática de topografia em cavernas com os interessados. Os mais preguiçosos (confesso que infelizmente me incluo) ficaram dentro da caverna, brincando com o Opilião que o Ralo (Jonas Zenero, membro egric 2012) pegou e jogando conversa fora. Acabada a prática saímos da caverna rumo ao churrasco e à breja, digo… rumo à Rio Claro! Chegando numa parte da trilha interrompemos o caminho para olhar uma bonita coral que estava pelo caminho, pra fechar o campo com chave de ouro! Chegamos à República Grosa lá pras 19h30 e estávamos em estado de calamidade, necessitando com urgência de um belo de um banho! O pessoal da USP e da UNICAMP foram se acomodando nas repúblicas ‘coração-de-mãe’ e umas 21h, com a presença de mais membros dos grupos (Lia, Espeto, Tênia, Vitti e Bergo- da Dinastia), o churrasco começou com muita breja, carne, lingüiça, pão de alho, vinagrete, pimentões, batatas e capirinhas, de vários sabores! Não termino meu relato por não lembrar tão bem a hora exata que voltei pra casa. Mas a confraternização foi muito legal também, deu pra conhecer melhor o pessoal! Fica aqui minha gratidão ao EGRIC, ao GGEO e ao GEUEC pelo ótimo fim de semana que eu tive! Espero que mais dias como esse se repitam, assim como a integração entre os espeleólogos do estado de SP.”

 

 

Trilha sonora do campo???

Estamos trabalhando na edição de um pequeno vídeo com alguns momentos que passamos no ultimo fim de semana, durante a realização de uma saída de campo com amigos espeleólogos do estado de São Paulo. Aos que participaram, cada um na sua estrada, no seu carro, no seus fones de ouvido, estamos precisando de ajuda para selecionar uma trilha sonora!!!! Na vossa opinião, que musica combinou/marcou/fez parte do campo? Não deixem de votar! Contamos com a ajuda de vocês. Em breve publicaremos o videozinho!

Into the Cave of Wonders

A natureza sempre supreendendo com as belezas escondidas no seu subterrâneo. Fica a dica para quem tiver a oportunidade de fazer um passeio turístico diferente quando estiver passando pela espanha. Fazendo juz ao nome, a Cueva de las Maravillas, cituada em Aracena (provincia de Huelva), é uma das cavernas turisticas mais visitadas da espanha e guarda um espetáculo único para os que visitam, como pode ser visto nos links abaixo:

–> no vimeo: http://vimeo.com/channels/staffpicks/84352928

–> no youtube: http://www.youtube.com/watch?v=a1gT8fXATmM

Já em 1911 começaram os preparativos pelos prefeitos do local para instalar iluminação adequada e abrir o local para visitação turística, que continua ocorrendo desde 1914! Isso significa que este ano (2014) a caverna está comemorando o seu centenário de visitação turística.

A caverna possui 3 níveis topografico e hoje os trabalhos de pesquisa e conservação estão a cargo do depto de geologia da Universidade de Granada. Desenvolvida em marmores do Cambriano, apresenta espeleotemas diversos, incluindo alguns de aragonitas azuis e vermelhas! O lago subterraneo transparente contribui para a beleza cênica do lugar.

e 2014 chegou!!!!

Ano vai e ano vem, mais as paixões e emoções continuam. O gosto, o cheiro, a vontade de ir a cavena, não passa. Talvez loucos, esquisitos ou apenas amantes da natureza e suas peculiaridades, os espeleólogos do EGRIC desejam que este ano que entra seja mais uma vez vivido com aventura, amizade, natureza, cachoeiras e é claro, cavernas. Aproveitamos a data para re-lançar o blog do grupo que estava inativo temporariamente. A todos amigos, colegas, espeleologos do Brasil e do Mundo, interessados, curiosos, ou até mesmo a todos os perdidos que não sabem como ou porque chegaram aqui e estão lendo este post, nos do EGRIC desejamos um ótimo 2014 para todos nós!

Batismo do treinamento em técnicas verticais do EGRIC, edição 2013.

Batismo do treinamento em técnicas verticais do EGRIC, edição 2013.

SEGESP – Semana de Estudos Geológicos do Estado de São Paulo

Bom dia pessoal!

Esta semana concluiu-se mais uma segesp, com muito sucesso, claro!

O Egric pode participar, com mini-curso sobre espeleologia que abrangeu a história da espeleologia, formação de cavernas, geomorfologia cárstica, hidrogeologia básica e bioespeleologia.

Contamos também com a participação do convidado Chico Bill da USP com uma palestra muito boa sobre a utilização de datações de espeleotema para interpretação de paleoclimas e as consequencias sobre as mudanças climáticas globais.

A palestra foi muito boa e gerou grande interesse por parte do público (estudantes de graduação e pós-graduação). O Egric agradece a participação do Chico.

Aproveitamos a semana para fazer uma divulgação das atividades do grupo. Foram exibidos os vídeos produzidos junto os trabalhos de campo dos cursos de noções básicas de espeleologia e topografia de cavernas, realizados no começo deste semetre.

Com certeza o Egric apoia o Cageo na realização anual da SEGESP, e ano que vem seguramente estaremos presentes colocando sempre presente a temática espeleologia na semana!

Abraços a todos

Egric Participa do 3º EUDE

Durante o fim de semana dos dias 22 e 23 de outubro,
o egric participou do encontro uruguaio de espeleo.
Parabenizamos desde já a iniciativa, disposição e
energia que o CEUMI tem atribuído a divulgação da
espeleologia no uruguai e no esforço de estruturar
a espeleologia no país. O evento foi um momento
especial, onde junto a secretaria de turismo de
Lavalleja, a cidade de Minas foi declarada
capital espeleológica nacional.
O evento contou com a participação de brasileiros,
argentinos e uruguaios. Em destaque ficou a grande
participação de estudantes universitários do uruguay
a fim de descobrir o que é a espeleologia. Saída de
campo foi realizada para a gruta arequita, que
ocorrem em rochas riolíticas.